Descrição

Sobre casamentos...

E mesmo com toda a crise financeira, a amiga vai casar! Quando? Ah, a gente não sabe... Com quem? Com o moço super bacana que ela ainda não conhece e nunca viu mais gordo em toda a sua vida, mas é indicação e amigo do namorado de uma outra amiga dela.
A moda agora é casamento à Indiana, sem conhecer o noivo, só o histórico com aprovação da família e dos amigos... Inclusive daqueles que também ainda não o conhecem, mas mesmo assim já é óbvio que tudo vai sair lindo e azul com bolinhas brancas!
Então ta valendo, não tem como não funcionar! E já está tudo organizado, o modelo do vestido, a trilha sonora, as madrinhas dela – os dele ele escolhe – e o convite no papel chiquérrimo em tom amarelado com letras douradas em alto relevo e a foto dos dois em preto e branco. No mínimo brega, mas a gente acha lindo assim! Afinal, pra que servem as duas amigas de comunicação? Pra fazer o evento do ano, é claro...
E o processo entre os dois também já ta em andamento. À Indiana, mas com uma pitada nacional... Começou pelo MSN, agora ta no telefonema e ela ta negociando data pra sair. E como demora... E como enrola... O Convite vai perdendo o gramur a cada mancada do moço... Já não tem mais as letras douradas e já dá pra começar a repensar a foto.
Mas independente disso as outras já decidiram que sim, ela vai casar, de véu, grinalda, com passarinhos amarelos pra carregar a cauda do vestido num fim de tarde ensolarado e o sobrinho novo e favorito de pajem pra carregar as alianças...
E depois de muito papo e muito tempo, quando as duas amigas da comunicação já pensavam em adiar o evento do ano para o outro ano, os pombinhos, aleluia!, combinaram de sair. Mas a essa altura a sugestão já era um convite de papel sulfite mesmo, em fonte Arial tamanho 12. E sem foto.
A verdade é que ela, uma diva à moda antiga, estava o tempo todo esperando a atitude partir dele. (Por isso demorou tanto!) E quando ele finalmente resolveu, o programa era filminho em um dos mil shoppings da cidade num sábado à tarde. Nada menos criativo, nada menos original, nada melhor pra começar qualquer coisa. Pelo menos o lugar era público, e se precisasse ela poderia muito bem sair correndo, chamar a polícia, o BOPE, a SWAT ou simplesmente avistá-lo de longe, concluir que tudo era um engano, ir embora despercebidamente e depois inventar uma desculpa qualquer do tipo, sei lá, meu gato pôs um ovo, ou algo do gênero pra justificar a ausência.
E o moço, coitado, todo feliz porque depois de tanto tempo de investimento via internet (e ela reclamando que ele não ligava nunca), ia conhecê-la, mesmo com todo aquele charminho da parte dela. (Mas isso é bem peculiar à classe feminina e toda diva merece, não?!)
Por fim, aceitar o convite pro cinema significava aceitar a proposta do moço com as intenções que o momento, o lugar e o horário permitiam. E ela enrolou o quanto pode, perguntou se o dia tava bonito, o que ele fazia da vida. Gosta de balé? Ah, não gosta? Que pena...
Não, definitivamente essa pergunta não foi feita, mas foi assim que chegamos ao momento mais esperado dos casamentos: o sim! Mas neste caso foi um sim, vamos assistir a um filme...
Tudo escuro, trailer na tela, pipoca, refrigerante, chiclete, drops de anis, e vamos ao segundo momento mais esperado dos casamentos, e não, não é aquele de correr atrás do buquê e ver a tia sobrepeso se matar, levar aquele escorregão digno de videocassetada e ainda cair sentada em cima do seu vestido. É aquele momento logo depois do sim, em seguida ao “estão casados”, aquela cena tão esperada que encerra todos os grandes romances de Hollywood.
O beijo! Era um capítulo único e decisivo, precisava dar certo, precisava ser perfeito... Mas... Faltava algo, algo essencial, e não era exatamente a tal da química...
Então, sentam-se as 3 para que uma amiga conte a história e as outras 2 possam emitir um parecer sobre o assunto.
- Que aconteceu?
- O que faltou?
- Ar!
- AR? (duplo)
- É, ar!
- Sim, ar... (romântica incorrigível) Tipo aqueles beijos que te levam pra outra dimensão e te deixam com falta de ar porque foi bom...
-Não! Eu não conseguia respirar com aquele ser me engolindo...
(pausa)
-Ok, primeira pergunta então: Rola?
(silêncio)
-Ta. Segunda pergunta: Quanto ele ganha mesmo?
(mais silêncio)
Tudo bem, a gente entendia que pra um primeiro encontro com o amor da sua vida tinha sido bastante trágico, mas ao mesmo tempo não dava pra perder a piada, né?! E passada a graça, uma das amigas ainda achava que coitado, merecia mais uma chance. Enquanto a outra já achava que primeira impressão fica, o cara era um chato mesmo, nem ficava legal na foto e que merecia um belo pé, isso sim! E sem muita enrolação! Elas param pra pensar um pouco mais a respeito e surge a ideia.
- Manja canudinho? O mesmo que você usa em aulas de mergulho pra puxar oxigênio?
- Sim. E?
- Leva um no próximo encontro...
- Como assim?
- Jura que você vai querer um próximo?
E antes que a noiva desse qualquer resposta, a outra amiga explica:
- Ué, o problema não foi falta de ar? Pelo menos você respira e tenta ver se o moço merece outra chance.
- Outra chance? Meu! Ele quase matou a menina!
-Vai ver ele ficou nervoso...
E a noiva continuava sem responder.
Os dias se passaram. O moço não... Tentou de várias formas sair com a amiga novamente, e ela naquela angústia sem saber o que queria e muito menos o que fazia... Afinal, apesar de todos os nãos ele não desistiu... E ainda disse que curtiu... Qual o problema da raça alienígena? Era o que as 3 se perguntavam...
Bom, nesses termos, se o investimento deu certo? Não. Não deu. Ela não gostou dele, ele não parecia nem de longe um primo distante do Brad Pitt, era um grude de pessoa, nem pagou o cinema e definitivamente não servia pra casar depois de uma semana. Resumindo, não fez efeito. De útil mesmo só sobrou o carro, que além de tudo era 1.0. Mas merecia mais uma voltinha... Pelo menos era o que a romântica incorrigível achava...
Uma pena. A festa tava ficando tão legal...

19 comentários

Anônimo disse...

Novo post EEEEE estava super ansiosa... parabéns, esses casamentos arranjados rendem muitas histórias...
Beijus

Anônimo disse...

mas ela temq chega de carroagem na igreja ja q tem passarinhos amarelos!?
uhahuauhauhahuhuhahua
e pra aproveita o romantcio passeio de carro ela podia leva um babador pq vai q alem de mata asfixiada ele baba!!!!
kkkkkkkkkkkk
ameeeeeeiiiii
qndo vao arranja o meu!?

Mari disse...

Meninassssssss
Parabéeens.... hueiheuihe
Já sei com quem contar na organização do meu casamentoo!! hahahahaha
Beijooss

Anônimo disse...

mto bom!!!!!!!!!!!!
continuem trabalhando na idéia das bolinhas brancas...

BJU!!!

glaucia disse...

Parabéns!!!
Continuem assim, está maravilhoso.

Matheus disse...

HAUhuahua

Muito bom Laurinha... eh bom ler isso q dá pra entender um pouco mais as mulheres... rsrs

Então chamar pro cinema no primeiro encontro nem pensar neh? rsrs

Kekel Jansen disse...

Bacana o blog!!!!!
Já tô seguindo....entra no meu tmb...
bjsss

Pedro de Alcantara disse...

Valeu Laurinha.

Parabens

Demorou mais estou aqui visitando sua "casa". Bjs Padrinho Tio Pedrão.

Glenda disse...

Gostei deste futuro casório. E quer dizer 1º encontro não rola cinema hé!!!

Parabéns mandou bem!!

Lílian disse...

Doreiiiii Laurinha... aliás minha cerimonial temos muito a conversar! Bjocasss

Nashala disse...

Ótima história! E pensar que é sempre assim: a expectativa é tão grande que qualquer Brad Pitt parece pouco ;D

Anônimo disse...

Kdê o post novo??? Demorô!
Beiju

Anônimo disse...

Como assim ninguém falou nada sobre a falta de ar???? Eu realmente gostaria de entender...Qual o problema do moço??? Alguma das 3 pode me explicar???
Beijinho!

Ana Carol disse...

Olha, a RP e romantica incorrigível aqui, acha que o problema do moço era não saber pegar... sei lá, ficou nervoso com a situação e deu uma p mancada com nossa amiga de to... Mas fazer o q? Pra mim não existem beijos ruins rs apenas incompatíveis!

Laurinha disse...

A PP que agora escreve também acredita na teoria dos incompatíveis...
Outra coisa, o problema não é o cinema, é a criatividade da coisa em si...
E quanto à segunda chance... ah, por favor... sem comentários! rsrsrs

Anônimo disse...

Daléeeeeeeeeeeee

Mtooo boaaa ... é isso msm que acontece qdo
pegamos referência de terceiros kkkk

Mandaram muito bem

Bjão
Lu

Ana Carolina disse...

Acho que a envolvida precisa dar sua análise.

Pra mim existem beijos incompatíveis e outros ruins... vai saber. O cinema nem é o problema. rsrsrs

Beijos pra todos!!!!!!!

Ana Carol disse...

Uma pergunta as 2 que não sou eu rs... Kdê o post novo????
Beju! id!

Anônimo disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Conheço essa história
rendeu varias aulas....
Porém juju vai ter que arrumar outro amigo bacana p vc, ou vc prefere meu primo?????????????????
kkkkkkkkkkkkkkk
bjos


Mah

Postar um comentário