Descrição

Sobre os primeiros diálogos


Então eis que a cena surge... Ela deitada na cama, com uma bacia de pipoca, acompanhada por duas amigas inseparáveis... O filme? Cult, não era um cenário adolescente apesar de tudo... Era uma questão de trabalho, porque é isso que existe atrás delas... Duas já formadas, uma subvalorizada, trabalha na área, mas é como se não trabalhasse, a outra descobriu que tudo o que fez pela área até hoje não serve mais e a outra tá tentando se formar, mas agora é a área que é subvalorizada, que é importante sim, mas assim como os professores muito mal remunerados, é a única que tem menos chance de ser rica e famosa, a não ser que perca essa resistência ao teatro...
Ok, brincadeiras a parte, gosto de observar a forma como as 3 se comunicam... Não entre si, mas com o mundo... Ponto em comum? Licenças especiais... Duas com licença poética e uma com uma licença sarcástica...
Sabe dialeto de mulher? Esse ser praticamente indefinível dada tamanha diversidade, embora certos pesquisadores do gênero insistam em dizer que sabem exatamente como descrevê-las e o que fazer para dominar a espécie, e que a ciência define como fêmea da espécie humana, dotada de protuberâncias no torax frontal e dorsal. De silhueta voluptosa. Tecido frágil, menos massa cerebral e mais tecido adiposo. Estrutura delicada. O coquix forma um coração durante a gestação. Capaz de gerar a perpetuação da espécie.
Mas ótimo, chega de enrolação e falemos sobre o filme... Pesado e muito artístico, por isso merecia pitacos de comédia... Mas a história era real...
Mas sabe esse ser chamado mulher que já foi definido acima? Sabe a tal da licença? Sabe o dialeto? Então, é aqui que tudo começa a se encaixar...
(pausa no filme)
-Mas você lembra do nariz daquele moço? Pensa isoladamente, não combina com nada no rosto dele, é até falta de respeito um nariz daquele...
-Falta de respeito? Mas isso não seria pro nariz bonito?
-É... Falta de respeito por quê? Ele rouba o ar das pessoas é isso???
-É... É um nariz muito... Muito... Errei!
-Errei??? (duplo)
-É, então Deus terminou e quando foi mandar pra cá viu que tinha esquecido o nariz e foi consertar...
-Daí errei???
-Que cruel...
-É, mas foi assim não?!
-Gente e o cabelo desse ator no filme? Também não é uma coisa muito "errei?"
-Não... Não tem cara de errei, certeza que Deus não tem nada a ver com isso...
-Por quê?
-Só porque é filme?
-Não, é que esse cabelo tem cara de...
-De??? (duplo)
-Coloquei depois!
(silêncio)
- Verdade, é muito coloquei depois...
O filme prossegue, a vida, a obra, a doença e aquele coloquei depois que pairava no ar em todas as pausas, um coloquei depois que queria dizer muita coisa...
Era diferente do nariz... Não era errei, era simplesmente coloquei depois!

2 comentários

Anônimo disse...

Meninas, o blog ta no começo, mas tá show!
Já to super seguindo vcs e esperando o novo post!!!

Bruna disse...

Laurinha, muito 10 o texto!!! Surgindo novidades é só me avisar!!!!
Bjoks

Postar um comentário